terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Turismo e Macroeconomia


O quadro Macroeconômico do Turismo apresenta conseqüências multiplicadoras na economia nacional. Segundo Beni (1997), turismo e o produto turístico buscam a satisfação do turista, no entanto, os benefícios econômicos não ficam estagnados apenas na atividade turística, estes são compartilhados com diversos setores da sociedade.

Ocasionando desenvolvimento regional:
De acordo com Baptista (1985), o desenvolvimento regional  é a capacidades das regiões para gerar internamente as condições de transformação das suas estruturas produtivas.³ A circulação de divisas na economia local, ocasionadas pelo turismo, desenvolve a oportunidade de novos negócios nas regiões. Os novos empreendimentos serão tanto para atender exclusivamente a demanda  turística, bem como para suprir a necessidades dos moradores das regiões turísticas.

Gerando empregos:
Os empregos da atividade turística, na sua maioria, ocorrem nos setores da hotelaria, agência de viagens e transportes. Todavia, os empregos gerados pelo turismo atinge indiretamente diversos outros setores conforme a OMT - o turismo é responsável pela geração de 6% a 8% do total de empregos no mundo. Além disto, é uma das atividades econômicas que demanda o menor investimento para a geração de trabalho. (Turismo no Brasil 2011-2014).

Circulando divisas entre países:
Conforme Evanilda Miranda (2003):
“Enquadrando-se então o turismo receptivo internacional é mecanismo adequado para a provisão de divisas, que incidirá favoravelmente nos movimentos da balança de pagamentos, desenvolvimento intersetorial, devido ao efeito multiplicador do investimento, crescimento da demanda interna e receptiva, desenvolvimento e planejamento regional ou territorial, fator estimulador da capacidade empreendedora, bens e serviços, equipamentos turísticos, rendas para o setor público – Estado e conseqüentemente a especificação da mão-de-obra demandada, sendo assim, a propulsora de elevação do nível do emprego entre os países [...]."
O que são Divisas:
“Divisas são as disponibilidades que um país possui em moedas estrangeiras, obtidas pelas exportações, pelos empréstimos de capitais, vendas de tecnologias, direitos de patentes, etc. O termo divisas compreende as próprias moedas estrangeiras, [...]”²

Atraindo Novos Investimentos - Imobiliários:
Possivelmente os maiores investimentos estrangeiros no turismo brasileiro são no setor imobiliário. Pode-se considerar a rentabilidade e as facilidades logísticas fortes dos promotores dos investimentos em imóveis. (EMBRATUR, 2008).¹

1- EMBRATUR. Mercado de turistas estrangeiros de segunda residência no Brasil. Brasília: Ministério do Turismo: EMBRATUR: FGV, 2008. 
2 - Fonte: www.cursosnocd.com.br - Comércio Exterior – Acesso:31/01/2012
3 - BAPTISTA, A. J. M. “Mobilização do potencial endógeno de desenvolvimento”. In:Revista de Investigação Urbana e Regional,  v. 2, n. 4, Lisboa: CIUR, p. 24-26, 1985.



quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Plano Municipal de Turismo - 2011


Planos de turismo:

Os planos municipais de turismo são ferramentas fundamentais para o desenvolvimento do turismo.  Estes documentos oficiais têm informações relevantes: dicas de bons consultores, processos, metodologias e políticas públicas.


A seguir foram listados alguns documentos elaborados no ano de 2011:

Teresina - Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável (PDITS)

Delfim Moreira - Plano de Desenvolvimento Turístico de Delfim Moreira

Porto Velho - Plano Municipal de Turismo

São Paulo - Plano Turístico Municipal - Platum

São Luís - Plano de Desenvolvimento do Cluster de Turismo

Santa Maria - Plano Municipal de Turismo

São Marcos - Plano Municipal de Turismo

Formosa - Plano Municipal de Turismo e Desenvolvimento Sustentável Formosa 2014

Fonte: google

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Pesquisa Sobre Publicações do Turismo no SciELO

O SciELO - Scientific Electronic Library Online (Biblioteca Científica Eletrônica em Linha) é um modelo para a publicação eletrônica cooperativa de periódicos científicos na Internet. Especialmente desenvolvido para responder às necessidades da comunicação científica nos países em desenvolvimento e particularmente na América Latina e Caribe.
A pesquisa Publicações do Turismo no Scielo tem o objetivo de avaliar quais são os principais temas de artigos publicados sobre o turismo no sistema. A pesquisa aconteceu no mês de janeiro, o método selecionado na Biblioteca Científica foi Integrado, a palavra utilizada - Turismo, localização Brasil. Os resultados apontados foram 113 itens. Segure abaixo na Tabela - 1, os principais temas sobre o turismo, foram desconsiderados os artigos que não estavam relacionados com o turismo e mesmo assim apareceram indicados nos resultados do SciELO.

Tabela - 1

Temas dos Artigos de Turismo Publicados pelo SciELO – Janeiro 2012
Quantidade
Artigos
Antropologia
1
Ecoturismo - Ecoturismo e Proteção Ambiental
2
Turismo Religioso - Romeiros e turistas - Religião e Patrimônio Histórico - Peregrinação
4
Turismo cultural - Turismo e modernidade na China e no Japão – Patrimônio Cultural
3
Turismo e Saúde
1
Turismo Rural - Turismo rural e agricultura familiar - Ruralidade metropolitana - Turismo Rural e desenvolvimento
4
Turismo de aventura - Contrastando esportes radicais e turismo de aventura
2
Conceito de turismo - Revisão da literatura sobre o turismo
2
Sustentabilidade - Análise da sustentabilidade do turismo ecológico- Projetos de Turismo Sustentável - Turismo e Conservação
4
Educação - A Eficiência dos programas de pós-graduação acadêmicos em Turismo - Avaliação dos docentes do ensino superior
3
Tendências do turismo
1
História - Contribuição da História do Viajar
2
Políticas de turismo - O papel das parcerias público-privadas de turismo,
2
Gestão do Turismo
1
Turismo e Etnicidade
1
Turismo de Massa
1
Turismo Sexual - Internet na geografia do turismo sexual - Vulnerabilidade ao HIV: turismo e uso de álcool - Imigração e o Turismo Sexual - Sexo e Turismo - Viajantes a procura de sexo - Comércio do Sexo
7
Impactos do Turismo - Impactos socioambientais - Impactos Ambientais no Porto - Impactos do pisoteio no litoral
4
Competitividade entre destinos turísticos - Competitividade e Sustentabilidade
2
Emigração e o Turismo
1
Planejamento do Turismo- Planejamento Agroturístico
2
Gastronomia e Turismo
1
Patrimônio Histórico
1
Estudos Econômicos
1
Internet e Turismo  - Informação do turismo - Internet e Estratégia Mercado
3
Turismo e Inovação
1
Turismo e Território
1
Turismo e Trabalho
1

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Alta Temporada e Sazonalidade do Turismo no Brasil


A sazonalidade Turística segundo Cunha (1997) pode ser definida pela distribuição da procura por destinos turísticos, ao longo do ano, de forma desigual, provocando uma concentração em alguns meses mais do que outros, e deriva de fatores climáticos, geográficos, demográficos, econômicos e psicossociais.

O tempo é o principal fator da sazonalidade, ou seja, um espaço de tempo relacionado com outras varáveis determina a sazonalidade das regiões. No Brasil considerando o turismo doméstico, as variáveis que mais causam o fator sazonal do turismo são: as férias escolares, férias dos trabalhadores, poder aquisitivo (MOTA, 2001).

Vejamos alguns períodos de sazonalidade no país. Na cidade de Salvador o ponto alto da temporada turística ocorre entre os meses de dezembro ao final de fevereiro, quando acontece o carnaval segundo o site (salvadorbahiabrasil). Já para conhecer o Pantanal, o período de sazonalidade está relacionado com as características naturais, no período conhecido por vazante, de abril a junho, é a melhor época para visitar o local, quando os animais começam a sair das regiões mais altas e as aves se concentram em torno dos lagos, conforme o site (pantanal.atspace). No sul do Brasil, em Santa Catarina, a sazonalidade está fundamentada em fatores culturais. No mês de outubro, no Vale do Itajaí, lá são realizadas inúmeras festas típicas alemãs. Outro exemplo psicossocial da sazonalidade turística é o Festival Folclórico de Parintins, realizado  no último fim de semana de junho na cidade de Parintins, Amazonas. O festival foi inspirado em lendas de pajelanças indígenas de várias tribos, e costumes caboclos da Amazônia, publicado no site (parintins).

                

Os fatores negativos da sazonalidade podem ser entendidos na citação de Lage e Milone (2000), a sazonalidade é uma concentração dos fluxos turísticos em períodos curtos do ano, esta sobrecarga, muitas vezes, exaure os recursos físicos e sociais nas áreas de destino e, por outro, situações de grande procura que geram ineficiência na atividade turística.
  
O principal fator positivo da sazonalidade turística é a recuperação dos destinos turísticos. O tempo que as regiões não são visitadas é fundamental para reorganização social e revitalização física dos espaços, exageradamente visitados na alta temporada.
  
Na conclusão do artigo publicado por Miguel BAHL, intitulado - SAZONALIDADE DO TURISMO NO MUNICÍPIO DEGUARATUBA, PARANÁ, BRASIL - foi verificado dois fatores que podem minimizar a sazonalidade: o planejamento turístico e a gestão dos destinos turísticos. O planejamento pode administrar a demanda e selecionar o público alvo, quanto à gestão turística, esta pode garantir a qualidade dos serviços prestados para o turismo local.

  
CUNHA, Licínio, Economia e política do turismo. 3 ed. Lisboa: Mcgrawhill,1997
LAGE, H. G.; MILONE, P. C. (Org). Turismo – teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2000, p. 117-13.
MOTA, K. C. N. Marketing Turístico: promovendo uma atividade sazonal. São Paulo: Atlas, 2001.
Fotos: google imagens (Pantanal e Parintins)

Venda On-Line:
Livro Mu-dança - https://www.amazon.com/dp/1520808917/ref=rdr_ext_tmb

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Roteiros da América Latina – Parte 3


El Salvador
El Salvador Impressionante é o slogam utilizado para divulgar os seis roteiros Turísicas RUTA DE PAZ, Ruta Sol y Playa, Ruta Arqueológica, Ruta Colonial y de los Volcanes, Ruta de las Flores, Ruta de las Mil Cumbres. A navegação no site é muito rápida, o conteúdo de qualidade, existe uma guia chamada gastronomia onde foram divulgadas receitas de doces regionais, boa idéia para divulgar a cultura local.


 

Guatemala
O coração do mundo Maya é assim que é conhecido o país da Guatemala. Os roteiros turísticos são denominados 7 Regiões que surpreendem o mundo são elas:Guatemala Moderna y Colonial, Viaje a Altiplano Cultura Maya Viva, Petén, Aventura en el Mundo Maya, Verapaces, Paraíso Natural, Pacífico, Exótico y Diverso, Oriente, Místico y Natural. O destino turístico criou uma maneira de divulgação criativa, o turista pode enviar Postcar – Cartão Postal, com fotos incríveis através do site Visit Guatemala. Envie o seu.



Fonte: http://www.visitguatemala.com

 México
A Secretaria de Turismo do México tem o objetivo diversificar os produtos turísticos e desenvolver novos mercados.  As Rotas do México estão publicadas no site www.rutasdemexico.visitmexico.com, denominadas: País vinho e do Aquarium of the World, O tarahumaras Millenary, A magia das Tradições e da Natureza, O berço da História e romantismo, A arte de Tequila e Música sob o Sol, O Huastecas e sua beleza excepcional, Mil sabores da Mole, O mistério e a origem da cultura Maya. O site da Secretaria é funcional, com inúmeras informações relevantes. O foco de divulgação do México é diversifica em várioas temas além dos roteiros, valorizam o patrimônio cultural. Viste o site!


Fonte: http://www.sectur.gob.mx

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Informações - Turismo Brasil





Roteiros da América Latina – Parte 2


Costa Rica
A Instituto Costarricense de Turismo é o órgão oficial que desenvolve o turismo da Costa Rica. No site do instituto Visit Costa Rica os roteiros turísticos estão na guia  Planeje Sua Viagem, sendo Caribe Norte, Caribe Sul, Valle Central, Las llanuras del norte, Monteverde, Guanacaste Norte, Guanacaste Sul, Puntarenas, Pacífico Médio, Pacífico Sul. O site é muito fácil de navegar e tem informações valiosas, inclusive da hotelaria e agência de viagens.


Cuba
O MINTUR Ministério de Turismo de Cuba foi criado em 1994 e tem o intuito de incrementar a oferta turística. Os roteiros do país estão expostos no site Cuba Travel, são eles: Pinar del Río, La Habana, Varadero, Península de Zapata, Cayo Largo, Villa Clara, Cienfuegos, Trinidad de Cuba, Jardines del Rey, Santa Lucía de Cuba, Camagüey, Las Tunas, Holguín, Granma, Santiago de Cuba,Guantánamo. O site Cuba Travel necessita de melhoras, a navegação é muito lenta e possui poucas fotos.
  

Equador
O Ministério de Informação  e Turismo do Equador foi instituído no ano de 1992, com  a estratégia de fomentar a qualidade dos destinos turísticos.A divulgação do Equador é feita no site Equador Travel, os roteiros estão divididos em: Islas Galápagos, Costa Nortes, Costa Sur, Andes Central, Andes Sur, Amazonas. O banco de imagens do site Equador Travel é um diferencial de divulgação do país, as fotos são lindas.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Roteiros da América Latina – Parte 1


Argentina
A Argentina apresenta no site oficial de divulgação do país os seis roteiros principais.  As regiões elencadas são: o Litoral, Norte, Cuyo, Patagonia, Cordoba e Buenos Aires. Podemos dar destaque, além dos roteiros, para um atrativo chamado Ruta 40 - A estrada mais longa e espetacular na Argentina, um passeio muito especial de mais de 5000 Km pela Cordillera dos Andes.



Brasil
No Brasil devido ao programa de regionalização do MTur foram organizados dezenas de roteiros, uma opção para visitar as cidades seria selecionar o tema de viagem de acordo com suas expectativas ou preferências. Os destinos do país são divididos em onze temas: aventura, cultural, ecoturismo, estudos e intercâmbios, náutico, negócios e eventos, pesca, rural, saúde, social, sol e praia. O site do Ministério de Turismo citado abaixo é muito interessante, sua plataforma de busca oferece a opção de encontrar: um roteiro em específico, pesquisar por estado ou por tema.
                                     



Chile
O Chile conta com o Servicio Nacional de Turismo - SERNATUR para fomentar e desenvolver o turismo, a divulgação do país é feita no site Chile Travel, no entanto os roteiros turísticos não estão descritos especificamente, tem uma guia no site chamada - Onde Ir -  ali você encontra os quatro principais destinos: DESERTO DE ATACAMA, SANTIAGO E SUAS PROXIMIDADES, LAGOS E VULCÕES, PATAGÔNIA, ILHAS. A promoção do turismo no Chile é muito interativa e divertida, o site possui vídeos e informações importantes. Conheça!



Colômbia
A Colômbia tem o um Guia Oficial de Viagem, nele não consta os roteiros, apenas as regiões do país em destaques. Os lugares listados são o Amazonas, Barranquilla, Bogotá, Boyacá, Cali y Valle del Cauca, Cartagena, Huila, Medellín – Antioquia, Pacífico, Pacífico, Providencia y Santa Catalina, San Andrés, Santa Marta, Santander, Triángulo del Café. O guia é muito completo ilustrado com mapas, vídeos, dados gerais das localidades, blogs.Um bom exemplo de como agradar os turistas oferecendo informação de qualidade.


segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

DESTINOS TURÍSTICOS - NOVO TESTAMENTO POST 5#


No post a seguir serão descritos os lugares ou "Destinos Turísticos" citados no Novo testamento. A pesquisa será feita na ordem de referência da Bíblia, o objetivo deste Post será apenas de curiosidade geral.

E, tendo chegado ao outro lado, à província dos gadarenos, saíram-lhe ao encontro dois endemoninhados, vindos dos sepulcros; tão ferozes eram que ninguém podia passar por aquele caminho
Mateus 8:28

A cidade de Gadara, (cidade dos gadarenos), uma cidade opulenta e rica de Decápolis, a uns 10 Km para sudeste do mar da Galiléia, essa região também era chamada de terra dos gerasenos, provavelmente pelo motivo de existir ali uma cidade menor chamada Gerasa.
Pastor Ismar Malta

E, partindo Jesus dali, foi para as partes de Tiro e de Sidom.
Mateus 15:21

Tiro e Sidom estão situadas na Fenícia (atualmente Líbano), ficavam ao norte da Galiléia, aproximadamente a 90KM de Carfanaum.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Post Mais Lidos 1 - Demanda Doméstica


As motivações dos brasileiros para fazer uma viagem têm duas características sendo: viagem de lazer 63% e de negócios 23% de acordo como a pesquisa da FIPE (2007).
Conforme a mesma pesquisa, os destinos mais visitados na ordem São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Florianópolis, Praia Grande, Fortaleza, Porto Alegre. Porém estes números têm a ver com a proximidade dos principais emissores, tendo em vista que cerca de 70% dos fluxos ocorrem dentro das próprias regiões, em número de viagens.
Já dentre os destinos turísticos “sonhados” pelos entrevistados da pesquisa acima a maioria estão na região nordeste do país: Fernando de Noronha, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, Natal, Recife, Porto Seguro, Florianópolis, Gramado, Manaus.
O turismo doméstico atual vem crescendo, aproximadamente 50 milhões em 2009, no entanto na pesquisa da FIPE de 2007, os turistas nacionais, utilizam como meios de hospedagem - casa de amigos/parentes - 65% (os turista que viajam a lazer) e 26% (os que viajam a negócio). Assim, podemos concluir que o turismo nacional não é satisfatório, a sazonalidade ainda é uma realidade na maioria dos destinos brasileiros.
 Quando o fluxo de turistas doméstico aumentar e houver utilização de todo o “produto turístico” (hotelaria, transporte aéreo, restaurantes, entretenimento)  haverá a melhoria dos serviços e da infra-estrutura turísticas causando definitivamente o desenvolmento do setor turístico no Brasil.
O Brasil tem um enorme mercado para explorar como afirmou o ex-ministro Barreto Filho em 2010 o para revista Isto é Dinheiro “Poucos países no mundo têm quase 100 milhões de potenciais consumidores”.
Portanto, Viajar é preciso!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Balneabilidade das Praias Brasileiras



O turismo de praia é a segmentação de turismo mais praticada no Brasil. Milhares de pessoas do Brasil e de outros países viajam até o litoral brasileiro todos os anos para curtir o verão. No entanto é preciso ter cuidados e pesquisar sobre a balneabilidade das praias. Existem algumas praias ou trechos de praias que são impróprias para o banho.

A Balneabilidade é a qualidade das águas destinadas à recreação de contato primário, sendo este entendido como um contato direto e prolongado com a água (natação, mergulho, esqui-aquático, etc), onde a possibilidade de ingerir quantidades apreciáveis de água é elevada.(CETESB)¹

Alguns Estados brasileiros possuem órgãos ou institutos que administram a balneabidade das regiões. Santa Catarina é um bom exemplo, a Fundação do Meio Ambiente – FATMA oferece um relatório de balneabilidade on-line no endereço:


O turista escolhe o nome da cidade e da praia e verifica se as condições são própria ou imprópria para banho. A água é considerada:

Própria: quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras coletadas nas últimas 5 semanas anteriores, no mesmo local, houver no  máximo 800 Escherichia coli  por 100 mililitros.

Imprópria: quando em mais de 20% de um conjunto de amostras coletadas nas últimas 5 semanas anteriores, no mesmo local, for superior que 800 Escherichia coli por 100 mililitros ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2000 Escherichia coli por 100 mililitros.


No Rio de Janeiro quem faz está pesquisa é o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), são emitidos boletins atualizados  descrevendo as condições: Recomendada ao Banho de Mar  Não Recomendada ao Banho de Mar. ²

Obtenha informações da sua região, pequenos cuidados podem garantir a segurança da sua viagem.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Sinalização Turística


Conforme o Manual de Sinalização Turística do Mtur - Sinalização Turística “É a comunicação efetuada por meio de um conjunto de placas de sinalização, implantadas sucessivamente ao longo de um trajeto estabelecido, com mensagens escritas ordenadas, pictogramas e setas direcionais.”

As placas são utilizadas para informar aos Turistas sobre a existência de atrativos turísticos e de outros referenciais, sobre os melhores percursos de acesso, distâncias, entre outros. Orientando de maneira geral o turista, que não conhece a região, necessitando de informação de maneira rápida e eficiente.

O manual descreve a importância do planejamento para iniciar uma sinalização turística diz que “É preciso observar as políticas de desenvolvimento do local a ser sinalizado, levando em consideração os seus planos diretores, regionais, turísticos e de preservação, as leis de zoneamento, as limitações ambientais e a oferta de infra-estrutura, bem como a organização institucional e seu reflexo na integração das atividades de planejamento regional e urbano. Essas políticas devem ser incorporadas à análise inicial, de modo a evitar o conflito entre a solução adotada na sinalização e as diretrizes estabelecidas. Há de se considerar, ainda, que cada situação apresenta condições específicas, com elementos próprios que induzem à procura de solução adequada.”

As placas da sinalização turísca no Brasil são padronizadas pelo Manual de Sinalização Turística do Mtur, o documento contém várias indicações de como deve ser o tamanho das placas, figuras, mensagens, entre outras. Tendo o objetivo também de respeitar com Código de Trânsito Brasileiro – CTB e nas Resoluções do Conselho Nacional de Trânsito – Contran, Cumprir a legislação de preservação de sítios tombados pelo Instituto do Patrimônio e Histórico e Artístico Nacional – Iphan e protegidos pela Lei de Arqueologia.

Pictogramas:






terça-feira, 3 de janeiro de 2012


Rodovia Interpraias – Balneário Camboriú

 A atividade turística do município de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, teve início no ano de 1971 e até hoje pode ser considerada o principal destino turístico do estado. Apesar da cidade de Florianópolis ganhar muitos prêmios e estar em destaque nos últimos anos no cenário turístico estadual, mesmo assim, Balneário Camboriú é invencível, sua atratividade e infraestrutura turística são incomparáveis a qualquer outra cidade no sul do país.

Neste contexto, a cidade inovou no ano de 2009, inaugurou Rodovia Interpraias. A Rodovia é um bonito passeio de 14KM, contornada por são 6 lindas praias: Estaleirinho, Estaleiro, Pinho, Taquaras, Taquarinhas e Laranjeiras.

Esta região é denominada Costa Brava, está localizada no extremo sul do município, é uma Área de Proteção Ambiental, APA Costa Brava, criada pelo Decreto Municipal 1985/2000 como forma de Compensação Ambiental pela criação da Rodovia Interpraias, definida pela Fundação Estadual do Meio Ambiente - FATMA, seguindo as normas estabelecidas pela Resolução  do Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA 01/86 e o Sistema Nacional de Unidades de Conservação - SNUC (Lei Federal 9.985/2000).

A visita é inesquecível. Conheça e Respeite!

Veja o destino no Google mapas: