segunda-feira, 17 de junho de 2013

Plano Nacional 2013 – 2016 MTur

A meta do Plano Nacional do Turismo é transformar o Brasil no terceiro maior PIB turístico do mundo até 2022. Podemos dizer que a visão do MTur mudou, no novo plano nacional¹ ficou claro até onde o governo quer levar o turismo nacional através do seu planejamento.

Vejamos a posição atual do turismo nacional, “sair da sexta para a terceira economia turística do planeta, ficando atrás apenas dos gigantes China e Estados Unidos, exigirá um crescimento anual médio de mais de 8% no turismo do Brasil, taxa superior ao crescimento médio dessa atividade no mundo e ao próprio crescimento do nosso PIB”.¹

Foi publicado neste Blog em 17/02/2012, o post  denominado Turismo no Brasil 2011 - 2014 X Programa Sectorial de Turismo 2007- 2012 do México: http://redeturismobrasil.blogspot.com.br/2012/02/turismo-no-brasil-2011-201-x-programa.html

Naquele post foi levantado uma crítica em relação ao “AntiFoco” do MTur: “As metodologias utilizadas nos planos turísticos é o grande diferencial para que o planejamento tenha sucesso. Infelizmente no Plano do Brasil - 2011/2014 a metodologia utilizada não é clara quanto a fatores numéricos, ficando vago qual o patamar que turismo brasileiro quer atingir.’

Apesar de novamente o governo brasileiro refazer um plano, visto que ainda não chegamos no ano de 2014, o plano atual parece ser mais eficaz, inclusive na questão do monitoramento das atividades:
“Para dar consequência objetiva ao Plano, que traz orientações de caráter mais estratégico, serão elaborados, periodicamente, documentos de cunho executivo, para possibilitar ações concretas de apoio ao desenvolvimento do turismo, onde estarão previstos os meios materiais, financeiros e legais necessários a sua viabilização.”¹

Congratulações MTur! O setor turístico agradece!


Fonte:

1-   PLANO NACIONAL DE TURISMO 2013 – 2016

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Zygmunt Bauman - Turistas - os heróis - da pós-modernidade.


Bauman (1998), diz que a projeção espacial sobre o tempo é o aspecto mais significativo da mentalidade moderna. O tempo progrediu do obsoleto para o atualizado. Um exemplo seria: Como pode alguém investir numa realização de vida inteira, se hoje os valores são obrigados a se desvalorizar e, amanhã, a dilatar? O mundo construído de objetos duráveis foi substituído por produtos projetados a se tornarem obsoletos num curto espaço de tempo.

O autor acima diz que o jogo pós-moderno é proibir o passado e futuro, devemos relacionar-se apenas com o presente. Abolir o tempo em qualquer outra forma e viver o presente contínuo. Consequentemente, não existe o para frente ou para trás, apenas a   habilidade de se mover  e não ficar parado.

O eixo da vida na sociedade atual é não fixar a sua identidade. O turista é o melhor exemplo desse comportamento, dessa evitação. Eles que valem o que comem são mestres  supremos da arte de misturar os sólidos e desprender o fixo. Antes e acima de tudo, eles realizam a façanha de não pertencer ao lugar que podem estar visitando: é deles o milagre de estar dentro e fora do lugar ao mesmo tempo. O turista guarda a sua distância, e veda a distância de se reduzir à proximidade. (Bauman, 1998)

Segundo Bauman (1998, 114) “O nome do jogo é mobilidade: a pessoa deve poder mudar quando as necessidades impelem, ou os sonhos o solicitam. A essa aptidão os turistas dão o nome de liberdade, autonomia ou independência (...)”.

Por fim, apesar do livro de Bauman ser intitulado O Mal-Estar da Pós-Modernidade, sendo uma crítica negativa do que a modernidade líquida está causando na sociedade. Foi muito interessante a comparação entre turista e identidade pessoal. Muitos autores do turismo questionam a interferência do turista na identidade da comunidade local visitada, porém não abordam a questão da flexibilidade da identidade do turista.

Fonte:

Zygmunt Bauman. O Mal-Estar da Pós-Modernidade - 1998.

domingo, 2 de junho de 2013

Trancoso - Bahia

A Vila de Trancoso está localizada no litoral de Bahia, distrito do município de Porto Seguro. A população de Porto Seguro segundo IBGE (2010), é de 126.929mil pessoas. Trancoso é um vilarejo simples e inesquecível,  está a 26 de quilômetros de Porto Seguro.

A Vila de Trancoso pode ser considerado um atrativo turístico cultural do país apenas por manter-se até hoje como uma das últimas regiões originais das primeiras povoações do Brasil. Conforme o site http://bahia.com.br/cidades/trancoso-porto-seguro:

“A aldeia de São João Batista dos Índios, atual Trancoso, foi fundada com a finalidade de defender a região dos contrabandistas de pau-brasil, que chegavam pelo litoral. Atualmente, cerca de 500 anos depois, a vila assiste à chegada de novos desbravadores. Só que, desta vez, são turistas de todo o mundo, que buscam sol, mar, tranqüilidade e muita história.”

O local  ja está consolidado como região turística, analise a Demanda Turística de Porto Seguro.

O Turismo da Vila começou segundo Silva (2006, p. 56):
A comunidade de Trancoso, na década de 70, passou a receber visitantes, em sua maioria hippies, que procuravam no litoral brasileiro, comunidades isoladas e com um modo de vida simples. Com o decorrer dos anos, a divulgação foi aumentando por intermédio das descrições daqueles que estiveram em Trancoso, atraindo novos visitantes.”

Principais atrativos:
Turismo religioso; Quadrado Histórico (Praça São João Batista); Igreja São João Batista; Artesanato; Praias.



Fonte:
LEONARDO THOMPSON DA SILVA - CULTURA, TURISMO E IDENTIDADE LOCAL: impactos socioculturais sobre a comunidade receptora de turismo –  Trancoso, Porto Seguro, Bahia

Venda On-Line:
Livro Mu-dança - https://www.amazon.com/dp/1520808917/ref=rdr_ext_tmb