domingo, 15 de setembro de 2013

A problemática da qualidade na prestação de serviços turísticos no Brasil



Os principais serviços turísticos são executados pela hotelaria, agência de viagens e empresas de transportes. No entanto, existe uma variedade de outros serviços que estão interligados diretamente às questões turísticas.

Neste sentido, a qualidade dos serviços é um fator fundamental para o  desenvolvimento do turismo. A qualidade dos serviços conforme Kotler (1998), é relativo aos seguintes fatores: confiabilidade, capacidade de resposta, segurança, empatia, tangibilidade.

Dos fatores acima citados o único que necessita de maiores explicação é a tangibilidade, que de acordo com Kotler (1998), representa “a aparência das instalações físicas, equipamentos, funcionários e materiais de comunicação”.

Os especialistas, professores de universidade e consultores do Brasil discutem demasiadamente sobre ferramentas e metodologias para gerar qualidade nas empresas. Por outro lado, as reflexões e execução sobre capacitação turística fica em segundo plano.

A responsabilidade pela problemática da prestação de serviços turísticos no Brasil não é apenas das políticas públicas ineficazes do país,  ela também esta relacionada com a falta de interesse dos empresários do setor turístico, que não investem de maneira adequada no setor. 


                                         


segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Investimento Privado no Turismo - Brasil





O conceito de turismo segundo a Organização Mundial do Turismo (2010), compreende as atividades de pessoas que viajam de e para ficar em lugares fora do seu ambiente habitual, por não mais de um ano consecutivo para lazer, negócios e outros fins.

Para que o desenvolvimento do setor turístico tenha um melhor desempenho o setor privado precisa contribuir mais e melhor. Segundo Trigo (1998, p.46) “Sem investimento privados não há desenvolvimento de longo prazo”.

Além disso, os projetos de desenvolvimento do turismo de âmbito regional e nacional não é apenas de responsabilidade do setor público,  como afirma Trigo (1998, p.35), “os empresários, o capital internacional, os profissionais da área e a sociedade civil em geral devem participar desses projetos para que o turismo se torne, cada vez mais, um setor dinâmico, lucrativo (...)”.

A pesquisa de Severino e Tomasulo (2012), demonstrou que o governo federal e o estadual foram os maiores financiadores dos projetos de turismo no estado de Santa Catarina. 

Os autores Rocha & Teixeira (1996), apresentam fortes evidências que o investimento público exerceu um papel substitutivo do investimento privado no período 1965 a 1990.

Desta forma, a necessidade de investimento no setor turístico é um fato. Os setores primordiais são: investimento de infraestrutura turística e pública, investimento na promoção dos destinos, na qualificação dos recursos humanos, investimento de ações para o desenvolvimento da sustentabilidade das cidades turística. O desenvolvimento do turismo também precisa ser patrocinado pelos empresários, que certamente usufruem dos benefícios que atividade turística produz.

Por fim, tão importante quanto à liberação dos recursos do governo para desenvolvimento do turismo é a aplicação de investimento privado.

Fonte:
OMT. Disponível em http://www.world-tourism.org. Acesso: 24/05/2010
ROCHA, C.H., TEIXEIRA, J.R. (1996) “Complementaridade Versus Substituição entre Investimento Público e Privado na Economia Brasileira: 1965-90”, Revista Brasileira de Economia, vol.50, nº 3, Julho/Set..
SEVERINO, S.; TOMASULO, S. Planos estratégicos municipais de turismo do Estado de Santa Catarina - roteiros turísticos  regionais: um estudo. Turismo em Análise, v. 23, n. 2, p. 408-436, 2012.
TRIGO. L. G. Turismo Básico. São Paulo: Editora Senac, 1998.