segunda-feira, 20 de maio de 2013

Turismo – Convênios MTur - Democracia ou Politicagem?


Analisamos o Portal da Transparência do Governo Federal, no item convênios por órgão concedente do Ministério do Turismo, período de 1996 até 13/05/2013, neste foi verificado que os cinco estados que mais receberam verbas, totalizaram a marca de R$ 3.464.391.551,11 bilhões. Os estados e recursos acima citados são São Paulo - R$ 865.160.562,68, Distrito Federal - R$ 839.329.184,97, Ceará - R$ 720.348.869,23, Pernambuco - R$ 538.269.134,94, Minas Gerais - R$  501.283.799,29.

O curioso é que a soma de todos os recursos liberados para os 28 estados do Brasil foi de R$ 7.538.461.989,74 bilhões, sendo assim, um pouco menos da metade de todo o dinheiro investido no desenvolvimento do turismo do país ficou concentrado em apenas cinco estados. Quais os critérios adotados para a distribuição destes recursos? Será que o método foi a falta de critérios?

A administração pública burocrata é propícia para que a democracia transforme-se em politicagem. Não entraremos no mérito de quem deveria receber os recursos, no sentido de que seriam os estados que tem potencialidade turística ou os governos que já lidam com demanda turística, a questão é: Será que estes os 5 estados que mais receberam os recursos foram privilegiados?

Na pesquisa da FIPE - Tabela - Destinos mais Visitados nas Viagens Domésticas – 2010/2011, as 10 cidades mais visitadas foram: São Paulo – SP, Rio de Janeiro – RJ, Salvador – BA, Fortaleza – CE, Brasília – DF, Recife – PE, Natal – RN, Curitiba – PR, Florianópolis – SC, Belo Horizonte – MG, Goiânia – GO.  Coincidência “ou não” todos os destinos mais “incentivados” pelo MTur,  ganharam no quesito de competitividade diante dos outros que ganharam menos recursos.

Tirem suas próprias conclusões: Politicagem ou democracia? Policagem foi escrito primeiro, na conclusão do post.


Fonte:

Nenhum comentário: