terça-feira, 26 de junho de 2012

Turismo Virtual – MINAS GERAIS



O estado de Minas Gerais segundo IBGE - 2010 possui 19.597.330 milhões de habitantes, com 853 municípios, dividido numa área de 586.520,368 (km²).

Os destinos do Estado de Minas Gerais estão organizados em Circuitos Turísticos, que atualmente são 42 Associações de Circuitos Turísticos certificados, distribuídos em 10 regiões, vinculados a Regionalização do Turismo de Minas Gerais, política do MTur. As regiões são: CENTRAL, ZONA DA MATA, SUL DE MINAS, TRIÂNGULO MINEIRO, ALTO PARANAÍBA, CENTRO OESTE DE MINAS, NOROESTE DE MINAS, NORTE DE MINAS, VALE DO MUCURI, RIO DOCE.

Os segmentos turísticos destaques são o Turismo Cultural e Turismo Rural, tendo ainda outras opções de turismo o Ecoturismo, Turismo de Aventura e Turismo de Negócios.

Atração Turística do estado:
A Estrada Real - ER é um Complexo Turístico de grande atratividade para o turismo cultural de Minas Gerais. A ER foi o antigo caminho, aberto há mais de 300 anos pela Coroa Portuguesa, reconhecida no Brasil e no exterior. Hoje, a ER passa por 199 municípios – 169 em Minas Gerais, 22 em São Paulo e nove no Rio de Janeiro – e tem 1,6 mil quilômetros de extensão e mais de 80 mil quilômetros quadrados. Conheça melhor o Destino no http://site.er.org.br.

ER:



Pesquisa de Turismo:
A Pesquisa de Demanda – 2011 elaborada pela SECRETARIA DE ESTADO DE TURISMO DE MINAS GERAIS aponto  a origem dos turistas, a maioria, são de MG, SP e RJ. O principal motivo de viagem é o Lazer 40%, o tipo de hospedagem é em hotéis 44% e casa de amigos 41%. Leia mais no site: http://www.turismo.mg.gov.br/dados-do-turismo-mineiro.


sexta-feira, 22 de junho de 2012

Análise de preços de hotéis: Verão de 2010


Por: David Roche - Presidente do Hotéis.com

O Hotel Price Index™ (HPI®) é uma pesquisa periódica de preços de hotéis nos principais destinos em todo o mundo elaborada por Hotéis.com. Os números da amostra de preços dos hotéis são  retiradas de 91.500 propriedades, em mais de 15.750 locais. Na Europa, aproximadamente 25% dos quartos de hotel são parte de uma cadeia, e os restantes são independentes. O inverso ocorre nos E.U.A. onde aproximadamente 70% dos quartos de hotel reservados se encontram inseridos em cadeias.


Mudanças globais de preços
Apesar de os preços em todas as regiões se terem mantido ou descido na comparação anual nos primeiros três meses de 2010, no segundo trimestre os preços já tinham subido 1% na Europa e nas Caraíbas, 3% na América, e estabilizado na Ásia.

  
O empurrão do Campeonato do Mundo para a África do Sul
Outro destino digno de referência é a sul-africana Cidade do Cabo, na qual o impacto do Campeonato do Mundo no segundo trimestre de 2010 pode ser visto claramente. Os preços na Cidade do Cabo subiram 35% comparando o mesmo período de 2009. Importante discutir esta informação, justifica sim aumentar o preços das diárias para a Copa do Brasil 2014, no entanto, cobrar preços abusivos é um ato desrespeito ao consumidor/turistas.

Destinos mais caros
O Rio de Janeiro tornou-se o destino não-europeu mais caro, com uma subida de 22% na comparação anual, de uma média de €136 em 2009, para €166 em 2010, devido à forçada moeda e da economia brasileira e da  forte popularidade da cidade costeira.

Leio o Texto:



terça-feira, 19 de junho de 2012

Dimensão ambiental do turismo no Brasil


No turismo nacional, a riqueza natural é a maior atratividade do Brasil. São quase 8 mil quilômetros de praias e também a mega-biodiversidade da Amazônia. O segmento sol e mar e ecoturismo depende inteiramente do meio ambiente, nesse sentido o planejamento turístico sustentável necessita apurar os impactos ambientais.

O Ministério do Turismo, discutindo o tema Turismo Sustentável, desenvolveu o documento TURISMO E A DIMENSÃO AMBIENTAL, nesse aborda vários tópicos sobre o assunto. A seguir foram selecionados alguns parágrafos relevantes ao turismo e meio ambiente, planejamento turístico sustentável e sustentabilidade. 

Fontes para o Turismo Sustentável - documentos internacionais:
1. The UN Commission on Sustainable Development, 7th session,1999
2. The UNWTO Global Code of Ethics for Tourism, 1999
3. Convention on Biological Diversity, Guidelines on Biodiversity and Tourism Development, 2003
4. Quebec Declaration on Ecotourism, 2002
5. Artigo 43 do Plano de Implementação do World Summit on Sustainable Development, Johannesburg, 2002
6. Sustainable Tourism –Eliminating Poverty (ST-EP), 2002.
Reconhecido pela UN S.G., Global Summit, EU Parliament, e
apoiado por países como Holanda, Alemanha, Itália e França.

As políticas públicas e o Estado podem colocar limites ou regulamentar as ações, seja do ponto de vista do uso dos recursos (florestais, hídricos, etc.) ou da imposição de penas a eventuais infrações. A regulamentação, tanto da perspectiva legal quanto da institucional (abordando os organismos de regulamentação) será o objeto do tópico três: Políticas nacionais, iniciativas estaduais, códigos específicos
O desenvolvimento de ferramentas para o planejamento turístico sustentável está vinculado ao Sistema Nacional do Meio Ambiente – SISNAMA.

O SISNAMA é composto da seguinte maneira:
Órgão Superior: Conselho de Governo
Órgão Consultivo e Deliberativo: Conselho Nacional do Meio Ambiente -CONAMA
Órgão Central: Ministério do Meio Ambiente - MMA
Órgão Executor: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA
Órgãos Seccionais: são os órgãos ou entidades estaduais.
Órgãos Locais: são os órgãos ou entidades municipais.

O ecoturismo pode ocasionar impactos tanto positivos quanto negativos sobre os destinos. Portando é fundamental que as regiões turísticas pesquisem nos documentos de referências sobre o turismo sustentável, também sobre as leis no sistema SISNAMA, indicações de  como devem proceder para desenvolver um destino sustentável de ecoturismo.

As preocupações são inerente ao ecoturismo, muitas vezes são impostas restrições ao número de visitantes e veículos aceitáveis. Até mesmo a realização de obras de infra-estrutura necessárias ao desenvolvimento adequado do turismo nas regiões, pode ser causadora de grandes problemas como, por exemplo, descaracterização das paisagens locais.


Fonte: TURISMO E A DIMENSÃO AMBIENTAL - Relatório Final - Ministério do Turismo

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Artesanato - Turismo


O turismo sustentável e o artesanato podem estar interligados.  A produção do artesanato valoriza a cultura local e gera renda nas comunidades. A venda de artesanatos como souvenirs para os turistas pode melhorar a qualidade de vida dos nativos envolvidos com o setor turístico.

Segundo Montalvo (1990) "O artesanato entra dentro do conceito de legado de tradições, usos e métodos, assim como de sentimentos e de valores estéticos e culturais acumulados por um processo histórico em permanente evolução."

De acordo com Ribeiro (2003), a primeira mais importante condição de atração turística é sem dúvida, a beleza e a diversidade ambiental e cultural. As regiões brasileiras precisam divulgar e criar condições para a manifestação da cultura local, sua diversidade, valorizando o Artesanato de seu povo.




Fonte:
Montalvo, Manuel -"Perspectivas do Desenvolvimento da Indústria Artesanal" in Actas do Colóquio sobre Artesanato. Coimbra, 8 a 11 de Novembro de 1989, p.118
RIBEIRO, Zuleika A. Pesquisa escolar 1ºGrau. S.Paulo, 2003.

domingo, 17 de junho de 2012

Turismo Virtual – PARÁ



O estado do Pará segundo IBGE - 2010 possui 7.581.051 milhões de habitantes, com 143 municípios, dividido numa Área de 1.247.950,003 (km²).

No site de turismo do Estado do www.paraturismo.pa.gov.br o Pará é descrito “A rica natureza amazônica dotou o Pará de praias oceânicas e de água doce, áreas de floresta virgem, serras, lagos e a maior parte dos rios amazônicos.”

A segmentação do Turismo  está organizada em: Arte e folclore, Ecoturismo, Pesca esportiva, Turismo de aventura, Turismo científico, Turismo religioso, Turismo rural, Negócios e eventos. Os principais destinos no Estado são Belém, Marajó, Salvaterra, Soure, Tapajós, Santarém, Monte Alegre.

Conheça um dos destinos do Pará Marajó:


Visite o Pará!

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Cursos de Mestrado - Turismo


Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES

Objetivo
A Campanha Nacional de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (atual CAPES) foi criada em 1951, pelo Decreto nº 29.741, com o objetivo de "assegurar a existência de pessoal especializado em quantidade e qualidade suficientes para atender às necessidades dos empreendimentos públicos e privados que visam ao desenvolvimento do país"

Cursos recomendados e reconhecidos                        
OS programas e cursos de pós-graduação que obtiveram nota igual ou superior a "3" na avaliação da CAPES atendem ao requisito básico estabelecido pela legislação vigente para serem reconhecidos pelo Ministério da Educação por meio do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Os Mestrados em Turismo são classificados:
CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS
TURISMO (ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO )
ÁREA: TURISMO


segunda-feira, 11 de junho de 2012

Rio + 20 e os Indicadores do Turismo Sustentável - OMT


O evento Rio + 20 tem o foco no desenvolvimento sustentável.  Apesar de o turismo ser uma atividade que gera desenvolvimento, quando não planejada e monitorada de maneira coerente, pode ser um fenômeno altamente destrutivo, que consome os recursos locais e não gera riqueza.

Segundo OMT os indicadores do turismo podem ter uma influência determinante no processo de desenvolvimento sustentável, gerando informações; viabilizando mobilizações e promovendo ações que irão conduzir ao Turismo Sustentável.

Indicadores Centrais do Turismo Sustentável

  1. Proteção Local
  2. Estresse (Número de Turistas)
  3. Intensidade de Utilização (Pessoa/hectare)
  4. Impacto Social
  5. Controle do Desenvolvimento
  6. Gerenciamento dos Resíduos
  7. Processo de Planejamento
  8. Ecossistemas Críticos (Número de Espécies/ameaçadas)
  9. Satisfação do Consumidor
  10. Satisfação do local
  11.  Contribuição turística para economia local

Índice Compostos:
Capacidade Local
Estresse Local
Atratividade

OMT - Guia de desenvolvimento do turismo sustentável. 
Traduçao: Sandra Netz.Porto Alegre: Bookman

sábado, 9 de junho de 2012

Direitos do Consumidor - Turista


Por: Márcia Aparecida Marcondes Moura - Dano Moral na Hospitalidade

O consumidor/turista quando compra uma prestação de serviço/produto turístico, nesse deve está intrínseco a qualidade. Quando turista não recebe o serviço/produto prometido ou oferecido, quando a venda não atende as expectativas do comprador o prestador pode ser acusado por dois danos material e moral.

Os prestadores de serviços turísticos quando anunciarem seus produtos/serviços estão assumindo responsabilidades, posteriormente precisam atender totalmente as expectativas criadas em seus clientes.

Os prejuízos causados ao cliente muitas podem ser irreversíveis. Vejamos numa viagem de lua de mel, momento único na vida de um casal, que pode ser planejada por meses. Justamente nesse momento inesquecível ocorrem inúmeros problemas no pacote de viagem. Qual operadora de viagem pode reverter esta situação? Nenhuma.

No entanto, no exemplo acima, os danos sofridos podem ser reparados, o cliente pode acionar o código do consumidor, conforme a LEI N° 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990:

 Art. 6° São direitos básicos do consumidor:

VI - a efetiva prevenção e reparação de danos patrimoniais e morais, individuais, coletivos e difusos;

VII - o acesso aos órgãos judiciários e administrativos com vistas à prevenção ou reparação de danos patrimoniais e morais, individuais, coletivos ou difusos, assegurada a proteção jurídica, administrativa e técnica aos necessitados;

O contrato de compra é a única garantia de requerer o que foi oferecido. Nesse sentido conforme Marcondes Moura (2003), “quando o contrato de turismo apresentar qualquer tipo de problema, seja por defeito, por vício, por acidente, ou por descumprimento da oferta o dano moral já existiu e deve ser reparado.”

Fonte: http://bdm.bce.unb.br/bitstream/10483/376/1/2003_MarciaAparecidaMoura.pdf

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Turismo Virtual - MARANHÃO


O estado do Maranhão segundo IBGE - 2010 possui a população 6 569 683 de  habitantes, com  217 municípios, dividido numa Área 331 935,507 (km²).

O turismo aventura, ecoturismo, turismo cultural e religioso são os principais segmentos de turismo do Estado do Maranhão, divulgados no site de Turismo do Governo do Maranhão. Os polos turísticos estão divididos em São Luis, Parque dos Lençóis, Delta das Américas, Chapada das Mesas, Floresta dos Guarás.

 Lençóis Maranhenses
"O Parque Nacional dos Lençóis é um Paraíso ecológico com 155 mil hectares de dunas, rios, lagoas e manguezais. Raro fenômeno geológico foi formado ao longo de milhares de anos através da ação da natureza. Suas paisagens são deslumbrantes: imensidões de areias que fazem o lugar assemelhar-se a um deserto.” 
De acordo: http://www.turismo.ma.gov.br.

A cultura é outro atrativo do Estado do Maranhão. O Patrimônio Arquitetônico contém um museu ao céu aberto com 3.500 imóveis dos séculos XVIII e XIX. Outras manifestações culturais são Cultura Popular, Gastronomia, Músicas, Lendas e Artesanato.
   
Fonte: http://www.turismo.ma.gov.br

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Valorização do dólar e o Turismo Interno


O turismo interno vem aumentando nos últimos anos, conforme dados do MTur. Um dos motivos pode ser o crescimento econômico do Brasil. No último mês porém, outra oportunidade surgiu a “Valorização do Dolar”.

A valorização do dólar conforme o artigo de Luís Guilherme Barrucho ocorreu devido “a indefinição sobre o futuro da economia europeia, a queda no preço internacional das commodities, principalmente, as metálicas, e as políticas recentemente adotadas pelo governo brasileiro, desde a redução da taxa básica de juros, a Selic, até mecanismos de controle cambial.

O aumento no preço do dólar fez com que os brasileiros, que iriam viajar no mês de julho para o exterior, reavaliassem seus planos. Viajar com um câmbio indefinido é muito arriscado, pode causar problemas no orçamento familiar.

A desvalorização do real ocorreu de maneira muito rápida. Para quem planejou sua viagem para o exterior e comprou seu pacote não houve tantos problemas, no entanto, para quem irá comprar os pacotes (que são comprados em dólar e vendidos em reais pelas operadoras de viagem) os preços certamente serão mais altos. Além disso, para quem fizer compras no exterior vai ficar mais caro.  

No entanto, surge oportunidades para o Turismo Interno. Para quem gosta do inverno pode viajar para o sul e curtir o frio, o nordeste é para quem gosta de praia. Ainda, existem inúmeros destinos alternativos como: Amazônia, Chapada dos Veadeiros, Bonito onde o ecoturismo pode ser explorado.









Fonte Videos:


terça-feira, 5 de junho de 2012

Sites de Reservas de Hotéis


Os portais de Reservas de hotéis são uma “nova” plataforma de vendas no setor da hotelaria. Os benefícios decorrem da praticidade do sistema de busca. Nos portais é possível localizar os hotéis por cidades e preço das diárias. Os preços dos sites são menores que do mercado, ainda é possível verificar a opinião dos hóspedes que visitaram os hotéis cadastrados.

Vejamos alguns portais do mercado:

2 milhões de comentários de hóspedes reais
Sem taxa de mudança ou cancelamento
Mais de 130 hotéis no mundo
Garantia de Equiparação de preço
Reservas 0800 ou on line

Aplicativo Gratuito para Móveis
Reservas de Hotéis
Reservas de Voos
Reservas Restaurantes
Fotos
Faça sua avaliação

27.000 empreendimentos, 180 países
Garantia de 100% Reserva
Mais de 3,5 milhões Comentários de Clientes
Aplicativo Gratuito para Móveis

domingo, 3 de junho de 2012

Turismo Virtual – RIO DE JANEIRO



O estado do Rio de Janeiro segundo IBGE – 2010 possui a população de 15.989.929 de habitantes, com 92 municípios, dividido numa Área (km²) 43.780,157.

A cidade do Rio de Janeiro é o Destino Turístico mais conhecido mundialmente quando o Brasil é citado. Além da sua beleza natural, a cidade tem um dos atrativos turísticos mais bonitos do mundo o “Cristo Redentor”, um monumento retratando Jesus Cristo, inaugurado em 1931.

O Estado conta com alguns destinos turísticos interessantes: Paraty, Cabo Frio, Búzios e Rio das Ostras, Angra dos Reis, Ilha Grande, Teresópolis, Petrópolis.

Conforme o documento denominado “A POLÍTICA DE TURISMO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIANTE DOS MEGAEVENTOS - 2011”, elaborado pela Setur Rio de Janeiro e parcerias o Estado do Rio de Janeiro recebeu a quantidade 766.083 – 2008, 908.667 – 2009, 982.538 – 2010 mil turistas. Publicou ainda que a taxa de ocupação média 65% - 2008 68% - 2009 e 73% 2010.







video
Fonte: TurisRio