sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Guest-Post Regulamentação da profissão Turismólogo


Por:
Valeria Guimarães
Turismo UFF
  
Aparentemente, a regulamentação da profissão pode não representar tanto, pois na prática, ela já é exercida e parcamente reconhecida há um bom tempo. Pode sugerir também uma burocratização excessiva, engessamentos, excesso de controle e concentração de poderes. Esse pode ser um lado complicado da regulamentação, mas isso não é regra e nem o mais importante.

Sou da opinião que a regulamentação da profissão é absolutamente necessária. A minha aposta é na visibilidade social (e valorização) desses profissionais que, inclusive, passarão a existir juridicamente, além, é claro, duma maior exigência em relação à qualidade de seus cursos de formação ( e isso é absolutamente necessário). Não penso pela linha da reserva de mercado nem do impedimento de outros profissionais de áreas de formação diversa atuarem no turismo. Isso seria suicídio, num campo tão multidisciplinar.

Além de turismóloga, sou também historiadora e há poucas semanas a profissão de historiador também foi reconhecida.  Durante o exaustivo processo, que também durou muitos anos,A Associação NAcional de História escreveu algo que para mim é o cerne da questão da regulamentação das duas (e de quaisquer outras) profissões:

"O que significa regulamentar? Significa definir legalmente os contornos do exercício profissional, significa fixar requisitos para que esse exercício se faça, significa precisar as competências e as habilidades que o profissional deve ter para exercer uma dada profissão, ou seja, regulamentar significa dar estatuto legal a uma profissão, significa o Estado reconhecer a sua existência e, portanto, significa dar uma identidade jurídica e pública ao exercício de uma dada profissão. Regulamentar, em síntese, significa passar a existir de fato e de direito como profissional."

Espero, somente, que esses "contornos do exercício profissional" não sejam um impeditivo para que outros profissionais extremamente competentes venham enriquecer o turismo.
Bem sabemos que a qualidade do nosso trabalho, a formação e o desempenho de nossos egressos no mercado, regulamentada ou não a profissão, são o aspecto fundamental, mas acho que a regulamentação da profissão de turismólogo é mais um fator para entrar no pacote de elevação da auto-estima dos profissionais de formação superior em turismo e ou hotelaria, conferindo-lhes, como disse antes, existência jurídica e visibilidade social.



Nenhum comentário: